Reajuste Salarial

No começo de junho, a data-base da categoria, foi encaminhado a proposta de reajuste salarial e esperamos negociar com os sindicatos patronais (Jornais e Revistas e Rádio e TV), com o objetivo de fecharmos o Acordo Coletivo de Trabalho.

É bom lembrar que a inflação do período é de 20,44%, e que as negociações estavam paralisadas numa proposta patronal de 10% de reajuste.

No dia 28 de julho de 2003, segunda-feira, os empresários fizeram uma nova proposta de aumento, de 12%.

Estamos aguardando respostas.

Saudações Sindicais

Registro Profissional

  1. Como Encaminhar

O registro de Jornalista Profissional, em todas as categorias, deve ser encaminhado através do Sindicato.

O pedido pode ser feito também através da Delegacia Regional do Trabalho (DRT), mas a legislação determina que, antes de aprovado, o registro seja examinado pelo Sindicato.

Tramita no Congresso Nacional o projeto de lei do deputado federal Carlos Bezerra, do PMDB-MT, de número PLS 307/95, que transfere para a Fenaj a emissão do registro profissional. O projeto já foi aprovado no Senado e vai ser votado no plenário da Câmara.

  1. Prazos

Após a impressão do requerimento de registro profissional, há um prazo de 30 dias para entregar os documentos ou o requerimento será indeferido.

  1. Documentos Necessários

Jornalista Profissional

* 2 (duas) via do Requerimento do Registro Profissional – após a impressão, há um prazo de 30 dias para entregar os documentos ou o requerimento será indeferido. Além do requerimento, será impressa uma declaração, que deverá ser assinada e entregue em uma via.

* cópia AUTENTICADA da página de rosto e qualificação civil da carteira de trabalho

* cópia simples do comprovante de endereço

* 1 (uma) copia autenticada da Certidão de casamento (se houver alteração de nome)

O registro de jornalista não pode ser encaminhado mediante a apresentação de certificado nem declaração de conclusão de curso.

* 1 (uma) cópia autenticada da Carteira de Identidade ou 1 (uma) cópia autenticada da Carteira de Habilitação de Motorista, caso o nº do CPF não conste na Carteira de Identidade, trazer 1 (uma) cópia autenticada do CPF

Carteira de Trabalho Profissional (CTPS – trazer a carteira)

Valores: não há custo algum.

Prazo: de 20 dias úteis após o encaminhamento.

Jornalista Profissional por Função Específica

Diagramador, Repórter Fotográfico, Repórter Cinematográfico, Ilustrador

* 1 (uma) via do Requerimento do Registro Profissional – após a impressão, há um prazo de 30 dias para entregar os documentos, ou o requerimento será indeferido. Além do requerimento, será impressa uma declaração, que deverá ser assinada e entregue em duas vias.

* 1 (uma) cópia autenticada, em cartório, do Histórico Escolar (Conclusão do 2° Grau)

* cópia AUTENTICADA da página de rosto e qualificação civil da carteira de trabalho

* 1 (uma) cópia autenticada da Carteira de Identidade ou 1 (uma) cópia autenticada da Carteira de Habilitação de Motorista, caso o nº do CPF não conste na Carteira de Identidade, trazer 1 (uma) cópia autenticada do CPF

* cópia simples do comprovante de endereço

* 1 (uma) copia autenticada da Certidão de casamento (se houver alteração de nome)

* Material publicado (jornal, revista) de no mínimo 2 (dois) anos, constando o nome no expediente do veículo. Caso não conste no expediente, é necessário uma declaração com firma reconhecida em cartório da empresa, reconhecendo a autoria do material publicado e o tempo de serviço.

* para repórter cinematográfico apresentar DVD com a comprovação de 02 anos no exercício da função.

Negociação Salarial

Passados mais de dez dias do encaminhamento da pauta de reivindicações da categoria e da solicitação de reunião de negociação, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Rio Grande do Sul não recebeu nenhuma resposta do sindicato patronal.

Na data de hoje, 12 de junho, foi comunicado a entidade representante dos empresários de comunicação do Estado a solicitação, junto a Delegacia Regional do Trabalho, de uma reunião de mediação entre o Sindicato dos Trabalhadores e os empresários do setor. A categoria está no mês de sua data base, único período do ano em que a lei determina obrigatoriamente uma negociação, e mesmo assim o patronato tenta fugir das suas responsabilidades.

O Sindicato dos Jornalistas vai informar os próximos passos da evolução do possível acordo, o comportamento dos fujões e quais as ações da entidade representante dos trabalhadores para garantir seus direitos e principalmente o reajuste salarial com a respectiva recuperação das perdas salariais impostas pelos empresários do setor.
Seu bolso
Aumento real: 6,0%
Inflação do período: 19,85%

As Mentiras Que o Mundo Conta

O jornal norte americano “The New York Times” vive um dilema neste momento, já que precisa inculpar um jornalista de seus quadros, sem que com isso deixe de significar uma condenação, mesmo velada, ao presidente Bush. O jornalista em questão é Jayson Blayr, que foi descoberto como velho praticante de “patifarias” contra o jornal e seus leitores.

O caso é o seguinte: o repórter de que fala a notícia vem há anos escrevendo reportagens e artigos fictícios, que os dá por verdadeiros. De 73 reportagens assinadas por Blayr, já foram detectadas 36 que são totalmente falsas. Sendo o “The New York Times” um jornal que se tem por sério e verdadeiro naquilo que divulga, a direção está encarando o acontecimento como desmerecimento perante o seu público, o que lhe acarretará grandes prejuízos de credibilidade e, por consequência, financeiros.

No entanto, como castigar um jornalista que distorce matérias e “esquenta” artigos visando celebrizar-se perante os leitores, se o jornal vem encampando mentiras há anos. Mentiras que, em dados momentos, como nos últimos tempos, em relação a invasão do Iraque, sobre “armas químicas e biológicas” e arsenal de destruição em massa, o jornal mentiu a serviço do governo.

Agora o jornal depara-se com uma circunstância, talvez inédita no jornalismo, que é condenar subalterno por ato usual praticado pela empresa.

Moral da história: quem mente por atacado não tem qualificação para punir varejo.